Agregador de notícias

Direto: Fez-se Luz. Acompanhe a festa do título do Benfica

TSF - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 21:36
O Benfica conquistou o 37.º título de campeão nacional. Acompanhe a festa encarnada na TSF.

Benfica campeão. As imagens do dia da decisão

TSF - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 21:33
O Benfica sagrou-se campeão ao derrotar o Santa Clara na Luz por quatro bolas a uma. Veja as imagens que vão para lá das quatro linhas.

Presidente da FPF felicita Benfica pelo 37.º título

Diário de Notícias - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 21:32

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, felicitou hoje o Benfica pela conquista do 37.º título de campeão nacional de futebol, após golear o Santa Clara, por 4-1, no Estádio da Luz, em Lisboa.

Em comunicado, Fernando Gomes congratulou “todos os atletas, equipa técnica, ‘staff’ e estrutura que contribuíram para mais esta conquista”.

O presidente da FPF realçou ainda “a enorme competitividade no topo máximo do futebol português”, depois de o Benfica ter conseguido superar “o FC Porto, segundo classificado, por uma escassa diferença pontual”.

Fernando Gomes enalteceu a dedicação, o empenho e a determinação do Benfica.

“É graças a este espírito de luta que os vencedores podem festejar a glória e os vencidos a sua honra”, frisou, enviando também uma palavra de apreço e conforto a todos os clubes do campeonato, que, segundo o qual, “tudo fizeram para dignificar e honrar o futebol o desporto português”.

O Benfica assegurou hoje o seu 37.º título de campeão português de futebol, ao golear em casa o Santa Clara por 4-1, em jogo da 34.ª e última jornada da competição, que terminou com 87 pontos, mais dois do que o FC Porto.

Sensacional recuperação de Bruno Lage sela ‘tri’ de Rui Vitória

Diário de Notícias - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 21:25

Uma sensacional recuperação protagonizada pelo treinador Bruno Lage levou o Benfica à conquista da I Liga portuguesa de futebol, num sucesso que permitiu ao antecessor Rui Vitória chegar ao ‘tri’.

Apesar de ter sido despedido, quando seguia no quarto lugar, a sete pontos do FC Porto, dois do Sporting e um do Sporting de Braga, Rui Vitória entra diretamente para o segundo lugar do ‘ranking’ dos treinadores com mais campeonatos lusos.

O agora treinador do Al Nassr, que na quinta-feira também se sagrou campeão na Arábia Saudita, juntou-se a 11 técnicos, que só perdem para o brasileiro Otto Glória, seis vezes campeão.

Rui Vitória, que somou 10 vitórias, dois empates e três derrotas, junta-se a ‘mitos’ como os húngaros Lipo Herczka, Josef Szabo, Janos Biri e Bela Guttman, os ingleses Randolp Galloway e Jimmy Hagan, o chileno Fernando Riera e o sueco Sven-Goran Eriksson.

Na lista de tricampeões, também já constavam três portugueses, Artur Jorge e Jesualdo Ferreira, que ganharam pelo FC Porto, e Jorge Jesus, que ganhou três pelo Benfica.

Sucessor de Jesus, Rui Vitória, de 49 anos, tinha arrebatado, a tempo inteiro, os cetros de 2015/16 e 2016/17 e foi ainda vice-campeão em 2017/18, falhando o ‘penta’.

Na presente temporada, o técnico natural de Alverca não resistiu ao desaire em Portimão, à 15.ª jornada, e cedeu o seu lugar a Bruno Lage, que começou a época como treinador da equipa B dos ‘encarnados’.

Em 03 de janeiro, Bruno Miguel Silva Nascimento, nascido em Setúbal a 12 de maio de 1976, assumiu “provisoriamente” o comando da equipa do Benfica e, três dias depois, estreou-se com um triunfo caseiro por 4-2 face ao Rio Ave.

Em encontro da ronda 16 da I Liga, os vila-condenses chegaram aos 20 minutos a vencer por 2-0 na Luz, mas Seferovic e João Félix empataram o jogo ainda antes do intervalo e ambos voltaram a faturar na segunda parte.

Nesse jogo, Lage trocou o ‘4-3-3’ de Rui Vitória por um ‘4-4-2’ e nunca mais o largou, sendo que, no campeonato, o Benfica foi andando de vitória em vitória.

Depois do Rio Ave, seguiram-se triunfos fora com Santa Clara (2-0) e, com grande dificuldade, em Vitória de Guimarães (1-0), um 5-1 caseiro ao Boavista e uma vitória bem mais clara do que o 4-2 final indica no reduto do Sporting.

À 21.ª ronda, o campeonato foi ‘sacudido’ por um mais do que inusual 10-0 ao Nacional, a 10 de fevereiro, ao que se seguiu um 3-0 na casa do Desportivo das Aves.

Desta forma, o Benfica chegou à 23.ª jornada a depender de si para subir à liderança: chegou ao Dragão a um ponto do FC Porto, esteve a perder, mas virou para 2-1, com tentos de João Félix e Rafa.

A ronda seguinte trouxe o primeiro, e único dissabor, em forma de um empate caseiro com o Belenenses, num jogo em que o Benfica chegou a 2-0 e depois ofereceu dois golos.

Os ‘encarnados’ cederam dois pontos, mas não a liderança, e a resposta chegou em forma de mais vitórias: 4-0 na casa do Moreirense, então em grande momento, 1-0 sofrido na receção ao Tondela e 4-1, com reviravolta, no reduto do Feirense.

Com um ataque imparável e insaciável, o Benfica continuou a somar triunfos, batendo em casa o Vitória de Setúbal por 4-2, e o Marítimo por 6-0, para, depois, lograr uma vitória ‘chave’ em Braga por 4-1, em mais um jogo que começou a perder.

O 5-1 ao Portimonense não foi fácil, após novo 0-1, e, em Vila do Conde, Lage conseguiu o pleno fora face ao Rio Ave (3-2), para rematar o título na Luz, perante o Santa Clara (4-1), num jogo em que foi ultrapassada a barreira dos 100 golos.

Quinto título do Benfica em seis anos como não sucedia desde os anos 1970

Diário de Notícias - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 21:22

Depois do inédito ‘tetra’, entre 2013/14 e 2016/17, e de ter falhado o ‘penta’, em 2017/18, o Benfica selou hoje o quinto título em seis anos, registo que não conseguia desde os anos 70 do século passado.

Ao vencer o ‘nacional’ de 1976/77, os ‘encarnados’ somaram, então, o quinto título em seis anos, e também o sexto em sete, o nono em 11, o 12.º em 15 e o 14.º em 18 anos, período em que os outros quatro cetros foram arrebatados pelo Sporting.

Depois desse domínio quase total, os ‘encarnados’ ainda conseguiram revalidar o título uma vez -- vitórias em 1982/83 e 83/84 -, mas, depois disso, o FC Porto assumiu uma enorme supremacia, com 20 campeonatos em 29 épocas.

Nesse período, os portistas lograram um inédito ‘penta’ (1994/95 a 98/99), um ‘tetra’ (2006/07 a 2008/09) e um ‘tri’ (2010/11 a 2012/13).

Dos nove cetros que fugiram aos ‘azuis e brancos’, o Benfica arrebatou seis, em 1986/87, 1988/89, 1990/91, 1993/94, 2004/05 e 2009/10, enquanto o Sporting somou dois (1999/00 e 2001/02) e o Boavista um (2000/01).

Os ‘encarnados’ viveram, assim, uma década sem qualquer vitória (1994/95 a 2003/2004) e apenas somaram um título em 15 anos, entre 1994/95 e 2008/09.

Em 2009/10, na primeira época sob o comando de Jorge Jesus, o Benfica voltou a ganhar, mas, depois, não ganhou nenhum dos três campeonatos seguintes, todos conquistados pelo FC Porto, que, em 90 jogos, só sofreu uma mísera derrota (1-3 no reduto do Gil Vicente, em 2011/12), e fechou invicto duas edições.

Apesar desses três desaires -- o último particularmente custoso, com o golo de Kelvin no Dragão, já nos descontos -, o presidente dos ‘encarnados’ segurou Jesus, que ‘respondeu’ com as conquistas dos campeonatos de 2013/14 e 2014/15.

Depois de seis épocas na Luz, Jesus partiu, para o Sporting, e chegou à Luz Rui Vitória, que, após grande recuperação, levou a equipa ao ‘tri’, em 2015/16, e a inédito ‘tetra’, em 2016/17.

Na época passada, os ‘encarnados’ estiveram perto do ‘penta’, já que lideravam o campeonato a cinco rondas do fim, mas um desaire caseiro com o FC Porto, por culpa de um golo do mexicano Herrera sobre o final, acabou com o ‘sonho’.

Rui Vitória manteve-se, ainda assim, mas, com a equipa em quarto lugar, após 15 jornadas e um ‘caricato’ desaire em Portimão (0-2, com dois autogolos), o técnico foi dispensado e substituído por Bruno Lage, que orientava o Benfica B, chegou como provisório, mas rapidamente passou a definitivo e com contrato prolongado.

Em 19 jogos com Bruno Lage, o Benfica somou 18 vitórias, a última hoje, na receção ao Santa Clara (4-1), e apenas um empate - em casa, face ao Belenenses (2-2), ao oferecer dois golos quando vencia por 2-0 -, selando o ‘37’ na derradeira jornada.

Com a conquista de 2018/19, o conjunto da Luz passa também a ter maioria na última década, com seis triunfos contra quatro do FC Porto, desde 2009/10, e a somar mais nove títulos do que os ‘dragões’ e 19 face ao Sporting, que chegou aos 18 em 2001/02 e parou. Desde 2002/03, só ‘dá’ Benfica ou FC Porto.

Quarteto benfiquista soma quinto título, mais sete repetem e 18 em estreia

Diário de Notícias - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 21:19

O lateral direito André Almeida, o defesa central brasileiro Jardel, o trinco sérvio Fejsa e o extremo argentino Salvio somaram hoje o seu quinto título nacional de futebol ao serviço do Benfica.

André Almeida (28 anos), Jardel (33), Fejsa (30) e Salvio (28) já tinham estado nos quatro cetros consecutivos que os ‘encarnados’ conquistaram entre 2013/14 e 2016/17.

O lateral está no Benfica desde 2011/12, o central ingressou nas ‘águias’ na temporada anterior (2010/11), Fejsa em 2013/14 e Salvio está na Luz desde 2010/11, mas atuou no Atlético de Madrid em 2011/12.

André Almeida foi o mais utilizado e o único que manteve a titularidade na transição de Rui Vitória para Bruno Lage, enquanto Jardel perdeu-a para Ferro, Fejsa para Gabriel/Florentino e Salvio para Rafa.

Além deste quarteto, apenas mais sete jogadores são repetentes em matéria de títulos, sendo que o cetro de 2018/19 é o quarto para o trio formado pelo médio grego Samaris, o também centrocampista Pizzi e o avançado brasileiro Jonas.

Samaris (29 anos), que ‘renasceu’ com Lage, Pizzi (29), o ‘rei’ das assistências, e Jonas (35), que acabou a época na sombra’ de João Félix e Seferovic, chegaram em 2014/15 e cumprem a quinta temporada nos ‘encarnados’.

No oitavo lugar do ‘ranking’ dos campeões segue, sozinho, o lateral esquerdo espanhol Grimaldo (23 anos), que colecionou o terceiro cetro em quatro épocas de Benfica, no qual atua, proveniente do FC Barcelona, desde 2015/16.

Por seu lado, os extremos Cervi (24 anos), Rafa (26) e Zivkovic (22) são os outros elementos do plantel que já tinham festejado, todos em 2016/17, época de estreia dos três.

Na presente temporada, Cervi e Zivkovic perderam protagonismo, também por culpa de Rafa, que se afirmou como um dos elementos mais preponderantes na conquista do ‘37’.

Se 11 jogadores voltam a festejar, para a maioria, os restantes 18 futebolistas utilizados, pelo menos num jogo, na I Liga 2018/19, trata-se do primeiro ‘caneco’.

Vlachodimos, Conti, Corchia e Gabriel triunfam na primeira época à Benfica, tal como os ‘miúdos’ Ferro, Florentino, Gedson Fernandes, Jota e João Félix, todos provenientes da formação dos ‘encarnados’ e em estreia na equipa principal.

Svilar, Rúben Dias, Krovinovic, Taarabt e Seferovic também somam o primeiro cetro, mas não chegaram em 2018/19, enquanto Lema, Alfa Semedo, Castillo e Ferreyra são campeões, mas não terminaram a época na Luz, sendo todos emprestados.

Por seu lado, Zlobin, Ebuehi e Yuri Ribeiro não cumpriram qualquer minuto, tal como o guarda-redes Varela, emprestado ao Ajax em janeiro.

Os títulos de campeões nacionais pelo Benfica dos 29 jogadores utilizados por Rui Vitória e Bruno Lage:

5.º: Fejsa, André Almeida, Salvio e Jardel.

4.º: Samaris, Pizzi e Jonas.

3.º: Grimaldo.

2.º: Cervi, Rafa e Zivkovic.

1.º: Vlachodimos, Svilar, Conti, Ruben Dias, Corchia, Ferro, Gabriel, Krovinovic, Taarabt, Florentino, Gedson, Seferovic, Jota, João Félix, Lema (a), Alfa Semedo (a), Castillo (a) e Ferreyra (a).

(a) - Saiu em janeiro.

FC Porto consegue reviravolta frente a Sporting em inferioridade desde os 20 minutos

Diário de Notícias - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 20:52

O FC Porto venceu hoje na receção ao Sporting, por 2-1, no clássico da 34.ª e última jornada da I Liga de futebol, que os ‘leões’ jogaram em inferioridade desde os 20 minutos.

Após a expulsão do colombiano Cristián Borja, com vermelho direto, o Sporting chegou à vantagem aos 61 minutos, com um golo do avançado brasileiro Luiz Phellype, mas o FC Porto, que necessitava de vencer e esperar que o Benfica perdesse com o Santa Clara, conseguiu a reviravolta com golos de Danilo, aos 78, e do mexicano Herrera, aos 87.

Com este resultado, o FC Porto, que também ficou reduzido com a expulsão de Corona, aos 89, terminou o campeonato no segundo lugar, com 85 pontos, menos dois do que o Benfica, que reconquistou o título nacional, ao vencer em casa o Santa Clara, por 4-1, enquanto o Sporting finalizou no terceiro posto, com 74.

Wolverhampton ‘português’ garante lugar na Liga Europa

Diário de Notícias - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 20:40

O Wolverhampton, treinado pelo português Nuno Espírito Santo, assegurou hoje um lugar na Liga Europa da próxima temporada, beneficiando do triunfo do Manchester City sobre o Watford (6-0), na final da Taça de Inglaterra de futebol.

A vitória dos ‘citizens’ abriu uma vaga na classificação final da Premier League, com o sétimo lugar, posto em que terminaram os Wolves, a dar acesso às pré-eliminatórias da Liga Europa.

Logo no seu primeiro ano de regresso ao principal escalão do futebol inglês, o Wolverhampton consegue o acesso às competições europeias, com um plantel em que fazem parte oito jogadores portugueses (Rui Patrício, Ruben Vinagre, Ruben Neves, Pedro Gonçalves, João Moutinho, Ivan Cavaleiro, Hélder Costa e Diogo Jota.

Onde é que anda o flop: Marco Zoro, um central com uma só vitória na Luz

Fair Play - Sáb, 18/05/2019 - 20:40

Corria o ano de 2007 e o Benfica enfrentava uma nova época em busca do título. Mas a época não podia ter sido mais atribulada. 3 treinadores numa só temporada (Fernando Santos, Camacho e Chalana) e um quarto lugar que desiludiu toda a gente.

Chegada e saída da Luz, 7 jogos depois

No meio dessa época tão mal conseguida, estava Marco Zoro, central costa-marfinense. Zoro chegou dos escalões inferiores de Itália depois de dar nas vistas no modesto Messina. Aos 24 anos, o central africano rumava a custo zero para a Luz.

Zoro chegava como um central forte e possante mas na Luz teve pouco espaço para mostrar isso. Luisão e Edcarlos foram os titulares durante quase toda a época e havia ainda um jovem brasileiro a despontar, de seu nome David Luiz. Desta forma, Zoro jogou apenas 7 vezes pelo Benfica e, nesses jogos, o Benfica ganhou apenas 1, para a Taça de Portugal. Nos outros 6 a equipa perdeu 2 e empatou 4 jogos, sofrendo 9 golos com o central em campo. Aí Zoro ainda conseguiu fazer um golo para os encarnados!

Zoro no Vitória de Setúbal (Foto: Getty Images)

O pouco espaço de Zoro na Luz foi tão notória que até Miguel Vítor, com 19 anos teve minutos nessa temporada. Com nenhum dos 3 treinadores o central vingou, mas ficou nos quadros do Benfica na época seguinte. Apenas em fevereiro de 2009 o central foi emprestado depois de não fazer nenhum jogo na segunda temporada.

O empréstimo foi ao Vitória de Setúbal e logo nessa temporada fez 10 jogos pelos sadinos. O empréstimo renovou-se por mais uma época onde Zoro fez 24 jogos e mais 1 golo. Crescia a expetativa em voltar à Luz mas no final dessa época o costa-marfinense foi dispensado pelos encarnados.

Épocas interessantes em França e na Grécia

Assim, Zoro rumou a custo zero à Roménia para jogar pelo Universidade Craiova onde fez 14 jogos mas acabou por não vingar e, 6 meses depois voltou a ser dispensado. Com o vigor físico a dissipar-se, Zoro ainda voltou a jogar e passou por vários clubes: SCO Angers (França), OFI Creta, AO Chania e Amaliadas (Grécia).

No Angers da segunda liga francesa fez 35 partidas e 2 golos, revitalizando a carreira, ainda que num campeonato inferior. No OFI voltou às primeiras divisões e foi importante no 6º lugar da equipa grega num campeonato sempre exigente.

Zoro pendurou as botas em 2017 sem qualquer título no seu palmarés e com uma passagem infeliz pela Luz. É também lembrado em Itália por um escândalo com racismo antes de rumar a Lisboa. Zoro chegou mesmo a querer abandonar um jogo com o Inter de Milão pelos cânticos racistas que ouvia das bancadas.

Apesar de não ter vingado num Benfica conturbado, dos problemas em Itália e da falta de títulos, o costa-marfinense teve uma boa carreira. Importante em boas campanhas de vários clubes por onde passou, mostrou sempre ser um bom central. As limitações mostradas na Luz impediram que tivesse mais oportunidades com qualquer dos treinadores que apanhou no clube encarnado.

Pela seleção nacional, Zoro fez 22 jogos, 5 deles em CANs. Foi uma peça importante numa geração interessante e empolgante da Costa do Marfim à qual faltou, tal como ao central, títulos.

The post Onde é que anda o flop: Marco Zoro, um central com uma só vitória na Luz appeared first on Fair Play.

Benfica é campeão nacional de futebol

Diário de Notícias - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 20:31

O Benfica sagrou-se hoje campeão nacional da I Liga de futebol, ao vencer o Santa Clara por 4-1, em partida da última jornada disputada no Estádio da Luz.

Seferovic (16 e 56), João Félix (23) e Rafa (39) marcaram os golos do Benfica, enquanto César (59) apontou o tento de honra do Santa Clara.

Nove pessoas detidas por venda especulativa de bilhetes para o jogo Benfica-Santa Clara

Diário de Notícias - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 18:47

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) deteve nove pessoas, em flagrante delito, por venda especulativa de bilhetes para o jogo da Primeira Liga de Futebol que decorre hoje no Estádio da Luz entre o Benfica e o Santa Clara.

Em comunicado, a ASAE adianta que, na sequência de uma operação de fiscalização, deteve até meio da tarde nove pessoas, em flagrante delito, em Leiria, Marinha Grande, Almada e Lisboa, tendo sido “instaurados nove processos-crime pela prática de especulação na forma tentada e venda irregular de bilhetes”.

“Foram apreendidos 18 bilhetes/títulos de ingresso, que se encontravam à venda através da Internet, a atingir valores de lucro de 700% acima do valor facial”, refere a ASAE.

Os detidos, entre os quais um menor de 17 anos, foram identificados e constituídos arguidos com termo de identidade e residência até serem presentes a tribunal para julgamento.

A ASAE alerta os consumidores para evitarem a aquisição de bilhetes acima do seu valor oficial, uma vez que essa venda constitui um crime de venda irregular de bilhetes, punido com pena de prisão até três anos.

Direto: em dia de Clássico, Dragão ainda acredita. FC Porto 0-0 Sporting

TSF - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 18:33
Ouça o relato TSF. Sérgio Conceição garante que, no Porto, ninguém desiste até ao apito final. Keizer já disse que o jogo mais importante do Sporting é o do próximo sábado: a final da Taça de Portugal.

Direto: Luz à espera do título. Benfica 0-0 Santa Clara

TSF - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 18:20
Ouça o relato TSF. A um ponto do título de campeão nacional, os encarnados recebem os açorianos do Santa Clara.

3 Pontos do SR 2019 Ronda 14: Jaguares começam

Fair Play - Sáb, 18/05/2019 - 17:52
A TENACIDADE ARGENTINA VS A SOBRANCERIA NEOZELANDESA

Os Jaguares chegaram à Nova Zelândia com o intuito de não só jogar bem como conquistar pontos suficientes para se manterem na corrida do acesso ao playoff do Super Rugby 2019 e depois de uma derrota agridoce frente aos Highlanders, era fulcral garantir pontos na visita ao campo dos Hurricanes, a 2ª melhor equipa da competição. A equipa da casa apresentou praticamente o seu melhor XV, mas sem Beauden Barrett ao leme e essa ausência seria suficiente para deitar tudo a perder no final de contas.

Os Jaguares realizaram um jogo compacto, entre o arriscar nos momentos mais inesperados e no “guardar” a oval quando os Hurricanes esperavam por um aproveitamento no jogo ao largo, abordando a estratégia adversária de uma forma inteligente, séria, temporizada e que traria frutos mesmo tendo sofrido um ensaio logo no 1º minuto de jogo.

Agustín Creevy foi dando o mote necessária para a equipa se manter consolidada e por volta dos 10 minutos de jogo tomaram controlo e domínio total da posse de bola, mostrando uma total confiança nas combinações ofensivas que permitiram ao três-de-trás conquistar mais de 230 metros e 6 quebras-de-linhas, o suficiente para desnortear a defesa dos Hurricanes.

Sem Beauden Barrett a criar um elo de ligação minimamente sustentável (as opções B ou C não têm de perto metade da qualidade do abertura dos All Blacks), os Hurricanes viram os Jaguares a dar uma lição no breakdown e nas fases estáticas, onde Guido Petti (é o 2ª linha em melhor forma na competição) foi “rei”, e chegar à linha de meta em 4 ocasiões diferentes, sendo que a 1ª foi graças a uma asneira infantil de Jordie Barrett (vejam o vídeo para perceber).

Uma exibição louvável sem ser espectacular, uma equipa cada vez mais consolidada e inteligente, que deu uma lição aos Hurricanes… respeitar o adversário e não achar que todas as situações de 1ª fase acabam em ensaio, pedindo-se mais a TJ Perenara, Ardie Savea ou Ngani Laumape na hora de dar o exemplo.

O DETALHE DOS 7’S NUM JOGO DE XV: SPECKMAN POWER PASS

Uma espectacular exibição dos Bulls garantiu uma vitória em terras de Melbourne, com a franquia de Pretória a montar um autêntico festival de pormenores e detalhes como o de Rosko Speckman. O ponta captou uma bola à ponta, tem tempo para cair no chão e levantar-se para depois atirar um passe à futebol americano (mas para trás) perfeito para as mãos de Odendaal. Ensaio, Bulls na frente do resultado.

Vejam o vídeo e percebam a qualidade do passe, que abordou uma série de pormenores importantes para correr bem: velocidade de movimentos, excelente tempo de reacção, óptima leitura do posicionamento do apoio e… uma invenção à là 7’s! A aprendizagem que Speckman tirou dos vários anos ao serviço dos blitzbokke tem sido extremamente útil para se estabelecer na franquia dos Bulls e estes detalhes fazem toda a diferença nos momentos decisivos.

Para além do power pass de Speckman, há mais alguns detalhes a ter em conta e um deles dá-se pelo nome de : Burger Odendaal. O centro é uma força da natureza, com uma total predisposição para servir de batedor na linha de vantagem e um dos melhores veículos de apoio nas combinações rápidas ofensivas dos Bulls, que provêm na maioria das vezes de rápidos contra-ataques.

Apesar das saídas de Pollard, Kriel e mais um ou outro nome, a franquia sul-africana tem uma série de atletas com capacidade de liderar e manter a bitola conquistada em 2019, em especial a genialidade que jogadores como Speckman trazem ao rugby de XV, com aquele power pass carregado de capricho e jeito!

REDS-WARATAHS – UM DÉRBI À ALTURA DA SUA HISTÓRIA

Ora um dos dérbis mais antigos do rugby mundial ficou para este fim-de-semana com Queensland Reds e New South Wales Waratahs a oferecerem um excelente espectáculo, algo raro quando falamos de franquias australianas. Este jogo era um tudo ou nada para ambos e esse “pormenor” exigiria (e exigiu) o melhor (e pior) de cada um… quem consentisse uma derrota, ficava praticamente de fora da fase final.

Bernard Foley e Kurtley Beale estavam incumbidos de trazer o seu melhor para dentro das quatro-linhas e, felizmente para os ‘tahs, foi isso que aconteceu. Beale tem feito esquecer Israel Folau em diferentes medidas, principalmente no montar de uma 2ª cortina atacante, operando como se fosse um segundo médio-de-abertura, algo que confere mais velocidade e soluções à franquia de Nova Gales do Sul (não tem a mesma dimensão em termos de ganhar a bola no jogo aéreo).

link construído entre Foley-Beale foi fundamental na 2ª parte, altura em que os Waratahs começaram a ficar por cima do jogo perante uns Reds perigosos mas sem a consistência necessária para conseguir “parar” o ritmo de jogo e bloquear o maior dinamismo da franquia de Nova Gales do Sul. Para o bem e para o mal a longa “costela” da juventude dos koalas tem influenciado os resultados finais e neste encontro, houve exactamente esse problema/virtude e o exemplo de Bryce Hegarty é o melhor para explicar esse factor.

O abertura marcou dois ensaios e ofereceu mais dois, mas foi incapaz de converter 20% dos pontapés que teve à sua responsabilidade, perdendo e assim 10 pontos essenciais para os Reds. Os veteranos Higginbotham e Samu Kerevi tentaram puxar pelos galões, todavia foi insuficiente para parar com a “hemorragia” de erros constante que saíam das mãos e ombros dos seus colegas.

Os Waratahs deram a resposta necessária para a profunda crise e voltam a estar no encalce dos Rebels na conferência australiana, sendo que Brumbies mantêm uma boa margem de distância com quatro jogos para o fim.

OS JOGADORES-PORMENORES DA SEMANA

Melhor Chutador: Bernard Foley (Waratahs) – 20 pontos (4 penalidades e 4 conversões – 90%)
Melhor Placador: Dillon Hunt (Highlanders) – 18 placagens (100% eficácia)
Melhor Marcador de Ensaios: Marika Koroibete (Rebels), Kwagga Smith (Lions),
Melhor Marcador de Pontos: Bernard Foley (Waratahs) – 25 pontos (1 ensaio, 4 penalidades e 4 conversões)
O Rei das Quebras-de-Linha: TJ Faiane (Blues) – 4
O Jogador-Segredo: Jordan Hyland (Highlanders) – 1 ensaio, 70 metros conquistados, 1 quebra-de-linha, 4 defesas batidos e 6 placagens
Lesionado preocupante: Nada a apontar
Melhor Ensaio: Andries Coetzee (Lions) vs Highlanders: excelente movimentação dos vice-campeões do Super Rugby

The post 3 Pontos do SR 2019 Ronda 14: Jaguares começam appeared first on Fair Play.

Miguel Oliveira parte do 16.º lugar para o GP de França

TSF - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 17:45
O piloto chegou a cair quando faltavam alguns minutos para terminar a qualificação e lamentou não ter trocado para pneus de chuva mais cedo. Ainda assim, impera o otimismo para a prova de domingo.

Feirense vence Desportivo das Aves na despedida da I Liga

Diário de Notícias - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 17:29

O Feirense despediu-se hoje da edição de 2018/19 da I Liga de futebol com um triunfo, ao vencer o Desportivo das Aves por 2-1, em jogo da 34.ª jornada, disputado em Santa Maria da Feira.

Numa partida em que as duas equipas já tinham a situação definida, os avenses colocaram-se em vantagem aos 31 minutos, através de Jorge Fellipe, tendo os anfitriões igualado aos 62, por Edinho, e virado o resultado aos 76, por João Silva.

O Feirense, que já não vencia desde a segunda jornada, fechou assim a sua participação no 18.º e último lugar com 20 pontos, descendo à II Liga, enquanto o Desportivo das Aves termina no 14.º lugar com 36.

Marítimo despede-se da época com uma derrota em casa frente ao Boavista

Diário de Notícias - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 17:26

O Marítimo perdeu, esta tarde de sábado, nos Barreiros, frente ao Boavista, por uma bola a zero.

Os verde-rubros despediram-se assim, esta época, com uma derrota que os coloca no 12.º lugar da tabela classificativa.

O golo dos axadrezados foi marcado à passagem do minuto 30, por Nwankwo Obiora.

Bayern Munique sagra-se heptacampeão com goleada e golo de Renato Sanches

Diário de Notícias - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 16:47

O Bayern Munique sagrou-se hoje heptacampeão de futebol da Alemanha, ao vencer em casa por 5-1 o Eintracht Frankfurt, para a 34.ª e última jornada, com um dos golos apontados pelo português Renato Sanches.

Renato Sanches, que começou no banco, participou na festa do título do Bayern Munique com um golo, o primeiro do português esta época na ‘Bundesliga’, ao marcar o 3-1, juntando-se na goleada a Coman (1-0), Alaba (2-1), Ribéry (4-1) e Robben (5-1).

O Borussia Dortmund, do português Raphael Guerreiro, que esperava um deslize do Bayern Munique para chegar ao título, venceu por 2-0 em casa do Borussia Mönchengladbach e terminou na segunda posição, a dois pontos da formação bávara.

O Leipzig manteve a terceira posição, apesar de perder por 2-1 em casa do Werder Bremen, e o Bayer Leverkusen, que goleou em casa do Hertha Berlim (5-1), chegou na derradeira jornada ao quarto lugar, que dá acesso à Liga dos Campeões, e remeteu o Borussia Mönchengladbach para a Liga Europa.

O Eintracht Frankfurt, que perdeu com o Bayern Munique, entregou a vaga que ocupa no acesso à Liga Europa ao Wolfsburgo.

Treinador Massimiliano Allegri diz que chegou a hora de sair “a bem” da Juventus

Diário de Notícias - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 16:46

O treinador italiano Massimiliano Allegri anunciou hoje que chegou a hora de se separar, “a bem”, da Juventus, equipa octocampeã italiana de futebol, na qual alinham os internacionais portugueses Cristiano Ronaldo e João Cancelo.

“Conversámos, discutimos e todos deram a sua opinião sobre o futuro e o que é necessário para a ‘Juve’. O clube decidiu que o melhor é que eu não seja mais o seu treinador”, disse Massimiliano Allegri, que falava durante uma conferência de imprensa realizada na presença de todos os jogadores da equipa.

O presidente da Juventus, Andrea Agnelli, também presente, confirmou que foi ele quem tomou a decisão de não continuar com Allegri, que em cinco anos conquistou cinco títulos e quatro taças de Itália, mas não conseguiu, apesar de presente em duas finais, conquistar a Liga dos Campeões.

“Após a derrota com o Ajax [nos quartos de final], pensei sinceramente continuar com Max. Era difícil entender se era o momento certo para encerrar um dos ciclos mais extraordinários da história da Juventus”, considerou Agnelli.

O presidente da Juventus acrescentou que como líder empresarial tem que tomar decisões no momento certo e só o tempo é que irá dizer se a opção agora tomada foi a certa.

“Somos todos úteis, mas ninguém é indispensável. A história do clube é sempre maior que a história de qualquer individualidade”, acrescentou Andrea Agnelli, que se recusou a responder a perguntas sobre o futuro treinador da Juventus.

Massimiliano Allegri, de 51 anos, disse encarar com “naturalidade” e “tranquilidade” este momento, mas não adiantou pormenores sobre o seu futuro.

Sob o comando do treinador italiano, desde 2014, a equipa de Turim atingiu por duas vezes a final da principal prova europeia de clubes, mas saiu derrotada em ambas, em 2015, frente ao FC Barcelona, por 3-1, e em 2017, perante o Real Madrid, por 4-1.

Na edição desta temporada da ‘Champions’, a Juventus foi eliminada nos quartos de final pelos holandeses do Ajax, tendo empatado 1-1 em Amesterdão, no jogo da primeira mão, e perdido por 2-1 em casa, no segundo confronto, com Cristiano Ronaldo a marcar os dois golos da ‘crónica’ campeã italiana.

Após a eliminação, Agnelli afirmou que a temporada seguinte da ‘Juve’ seria realizada “certamente com Allegri no banco de suplentes”, lembrando que o técnico ainda tinha mais um ano de contrato e que iriam ambos “conversar no fim da época”, com vista a encontrar uma forma de o clube “regressar ainda mais forte”.

Apesar de nunca ter falhado a conquista do título italiano, os fracassos sucessivos na Liga dos Campeões motivaram o descontentamento dos adeptos ‘bianconeri’, que também se mostraram sempre muito críticos com o estilo de jogo da equipa, considerado muito defensivo.

Todos "podem fazer mais" e os dirigentes desportivos mais ainda

TSF - Desporto - Sáb, 18/05/2019 - 16:31
A mensagem é deixada pelo secretário de Estado do Desporto. Em dia de decisão do campeonato, João Paulo Rebelo, em entrevista à TSF, acentua a responsabilidade que cabe a cada um para prevenir a violência no futebol.

Páginas