Agregador de notícias

Morreu Niki Lauda, três vezes campeão em Fórmula 1

Diário de Notícias - Desporto - 4 horas 45 minutos atrás

O antigo piloto austríaco Niki Lauda, tricampeão mundial de Fórmula 1, morreu esta segunda-feira aos 70 anos, anunciou a família.

“É com enorme tristeza que anunciamos que o nosso querido Niki morreu em paz, rodeado pela sua família, esta segunda-feira”, lê-se num comunicado.

O ex-piloto tinha sido submetido a um transplante pulmonar no verão passado.

“As suas realizações únicas como desportista e como empresário são e serão sempre inesquecíveis. O seu dinamismo inesgotável, a sua integridade e a sua coragem serão um modelo e uma referência para todos nós”, recordou a família.

Giro d’Italia – 1ª semana

Fair Play - 4 horas 56 minutos atrás

Foram apenas 9 dias, mas foram 9 dias em que muito aconteceu e que com certeza muito vão pesar nas pernas dos ciclistas na 2ª e 3ª semana.

Não se pode dizer que foi a melhor das primeiras semanas das últimas edições do Giro. Pelo contrário, não fosse a chuva e os estragos por ela provocados e esta semana não teria muito para contar. Do ponto de vista do espetáculo e do entusiasmo que a Volta à Itália nos tem habituado, a 102ª mostrou um arranque um pouco aquém do que se esperava.

Vencedores

Com toda a justiça comecemos por identificar os vencedores da semana. O mais da semana, é sem dúvida Valerio Conti (UAE- Team Emirates).

O sorriso que representa a felicidade dos italianos no final desta 1ª semana. Conti vive um sonho tornado real e irá defender-se até conseguir. Fonte: Justin Setterfield/Getty Images

Conti entrou na fuga certa, na 6ª jornada. A fuga viria a ter “autorização” do pelotão para roubar a “Maglia Rosa” a Primoz Roglic (Team Jumbo – Visma), que assim libertava a sua equipa da responsabilidade da liderança da corrida. Os italianos viram o seu prodígio, Fausto Masnada (Androni Giocattoli – Sidermec), vencer a etapa e Conti vestir a camisola rosa. Um dia em grande para os da casa, onde para além da vitória, viram um inesperado Conti vestir o manto rosa e defendê-lo com toda honra que lhe é exigido.

Ao falar de vencedores com certeza a conversa acaba em Primoz Roglic. O esloveno abriu e fechou a semana da mesma forma, a vencer. Com a época que fez até ao Giro, era espectável que Roglic dominasse a 1ª semana. Venceu as 3 provas de uma semana em que participou. Logo com 9 etapas, onde 2 eram contra-relógio e a alta montanha não se fazia sentir na sua plenitude, esperar menos que isso seria de estranhar. 2 vitórias, 1º e 9º etapa, e mais de um minuto para os seus diretos adversários, um dos mais da semana.

Continuando a senda das vitórias e da boa forma, chega a vez de Pascal Ackermann (Bora hansgrohe). O alemão não esperou uma segunda oportunidade para justificar a sua presença no Giro na vez de Sam Bennet e venceu logo na 2º etapa. Um sprint dominador frente a grandes nomes do sprint mundial. Sobre condições atmosféricas bastante adversas, Ackermann, comprovou a sua boa forma, à 5ª etapa, e tem defendido com bastante qualidade a camisola da regularidade, a Maglia Ciclamino. O alemão perdeu apenas para Fernando Gaviria (UAE- Team Emirates), na etapa 3, e por excesso de confiança, para Caleb Ewan (Lotto Soudal), na etapa 8, que assim entram nos vencedores da semana.

Ackermann tem sido o dominador das chegadas ao sprint. Uma grande vitória num dia bastante difícil com condições atmosféricas muto duras. Fonte: Justin Setterfield/Getty Images

A semana premiou ainda Richard Carapaz (Movistar Team), na etapa 4, que bateu a concorrência num grupo reduzido devido a uma queda. E Pello Bilbao (Astana Pro Team), aproveitou uma pequena margem para o pelotão e deu aos adeptos uma excelente vitória.

Entre os mais da semana, destaque também para o tubarão de Messina. Vincenzo Nibali (Bahrain Merida) tem minimizado as percas para Roglic nos contra-relógios e vai agora entrar no seu terreno. Embora o Giro termine com mais uma luta contra o relógio, o italiano tem uma terceira semana muito forte e se encontrar a aquela capacidade trepadora que o levou a vencer o Giro por duas vezes, vai ser difícil para Roglic aguentar o tubarão.

Derrotados, azarados e desistentes

Poderiam ser 3 categorias diferentes, mas, neste caso umas dependeriam das outras.

Foi a noticia da semana. Tom Dumoulin (Team Sunweb) abandonou a prova após uma queda que o deixou afundado na classificação geral. O azar ditou a sua derrota e perante as dores e o tempo perdido, Dumoulin acabou por desistir. Uma pena pois com tanto contra-relógio seria um sério candidato à vitória.

Ensanguentado, cabisbaixo e protegido pela sua armada. Assim, chegou Dumoulin, após a queda que o faria abandonar o Giro 2019. fonte: Tim de Waele/Getty Images

O grande derrotado da semana é Elia Viviani (Deceuninck – Quick Step). O italiano, que foi o grande dominador das chegadas ao sprint no ano passado, chega ao fim da 1ª semana sem uma única vitória. Desclassificada na 3ª jornada por suposto sprint ilegal, a verdade é que Viviani nem tem dado ao seu público o melhor que sabe fazer. Será que ainda vai a tempo de se redimir?

Simon Yates (Mitchelton – Scott) e Miguel Angél Lopez (Astana Pro Team), saem da 1 semana também na classe dos derrotados, devido ao mau resultado que obtiveram na 9 etapa. Lopez furou e acabou por ter um contra-relógio abaixo do que se esperava. Yates teve um grande quebra na parte final e que agora terá de atacar na montanha para recuperar os mais de 3 minutos perdidos para Roglic.

Também Mikel Landa (Team Movistar) está entre os derrotados, afastando cada vez mais a ideia de poder vir a vencer uma grande volta. Sempre rodeado de alguns azares, Landa acaba por perder tempo em várias etapas, sendo que, no contra-relógio o descalabro é total. Com Carapaz a andar cada vez melhor, o caminho está complicado para Landa justificar a liderança da equipa.

Completando a classe dos azarados, surge o nome de Gaviria, que abandonou devido a uma lesão no joelho esquerdo. Yates e Nibali acabaram por perder tempo, na etapa 4, e até Roglic foi ao chão quando ainda estava vestido de rosa.

O Giro entra agora 2ª semana e veremos como tudo isto afectará as principais figuras do pelotão. As contas da geral estão um pouco confusas, uma vez que a grande fuga que deu a liderança a Conti, intrometeu muitos nomes secundários no Top 10. Entre eles está o português Amaro Antunes (CCC Team), estreante nas 3 semanas, com uma excelente prestação até agora.

The post Giro d’Italia – 1ª semana appeared first on Fair Play.

Ronaldo na lista de Fernando Santos para a Liga das Nações

Diário de Notícias - Desporto - 5 horas 40 minutos atrás

O seleccionador Fernando Santos revela na quinta-feira os convocados de Portugal para a fase final da Liga das Nações de futebol, que vai decorrer em solo luso, numa lista em que Cristiano Ronaldo tem lugar reservado.

O capitão da selecção nacional falhou a fase de apuramento, por decisão conjunta do jogador e do próprio seleccionador, mas Fernando Santos já garantiu que o avançado vai fazer parte da lista dos 23 seleccionados.

Além de Ronaldo, a presença de João Félix, que ainda não se estreou pela selecção principal, também parece garantida, já que o jovem avançado ficou ausente da equipa de sub-20 que vai disputar o Mundial na Polónia, numa época de grande destaque no Benfica, pelo qual se sagrou campeão nacional.

Sem espaço para grandes experiências, já que a Liga das Nações engloba apenas dois jogos, é esperado que Fernando Santos aposte no chamado ‘núcleo duro’ e que não reserve grandes surpresas.

Rui Patrício, Beto e José Sá deverão preencher os lugares dos guarda-redes, enquanto na defesa aparecem algumas interrogações, sobretudo no centro e no lado direito.

Na zona central, Pepe, José Fonte e Rúben Dias devem ser chamados, ficado uma vaga em aberto para essa posição, e na direita a dúvida está em Nélson Semedo, que se lesionou no domingo ao serviço do FC Barcelona. Ricardo e Cédric Soares vão os principais candidatos a rivalizar com João Cancelo.

Na esquerda, Raphael Guerreiro e Mário Rui estão praticamente certos.

No meio campo, Bruno Fernandes, Danilo Pereira, William Carvalho, João Moutinho e Rúben Neves devem integrar as escolhas de Fernando Santos, enquanto João Mário, Pizzi e Adrien poderão baralhar as ideias do seleccionador.

Na frente, além de Ronaldo e Félix, Bernardo Silva também é presença mais do que certa, enquanto Rafa e Gonçalo Guedes devem igualmente aparecer na lista final. André Silva, lesionado, arrisca falhar a Liga das Nações, abrindo a porta a Dyego Sousa.

As escolhas de Fernando Santos vão ser reveladas na Cidade do Futebol, em Oeiras, numa conferência de imprensa que está agendada para as 12:30, na quinta-feira.

Portugal defronta a Suíça nas meias-finais, em 05 de junho, no Porto, enquanto Inglaterra e Holanda disputam no dia seguinte a outra vaga para a final, em Guimarães.

A final está agendada para 09 de junho, no Estádio do Dragão. Antes, realiza-se o encontro de atribuição do terceiro e quarto lugar, no Estádio D. Afonso Henriques.

Diego Barcelos abandona Nacional de “consciência tranquila”

Diário de Notícias - Desporto - Seg, 20/05/2019 - 21:00

O médio do Nacional, Diego Barcelos, anunciou que vai abandonar o clube madeirense, agora despromovido à II Liga, mas sublinha que sai de “consciência tranquila”.

“Após 6 épocas e meia, venho oficialmente comunicar o meu desligamento do clube”, publicou o atleta brasileiro de 34 anos na página pessoal do Facebook.

Diego Barcelos diz que levará na bagagem boas memórias dos tempos em que vestiu a camisola alvi-negra e que não guarda ressentimentos de nada. “Foram épocas de muitas vitórias, e é desse Nacional que sempre irei lembrar”, escreveu.

A saída do jogador coincide com a despromoção do emblema da Choupana à II Liga, mas Diego Barcelos, acredita que não será por muito tempo.

“Deixo o clube num momento menos bom, mas com a consciência tranquila que dei o meu melhor sempre, e assim como num passado recente, acredito que o clube irá se levantar, e voltará a ocupar os lugares de onde nunca deveria ter saído!”, regista o médio nacionalista que se despede da massa adepta com um agradecimento. “Um obrigado especial aos adeptos, que sempre me respeitaram, e nunca deixaram de apoiar a equipe. Ao Clube Desportivo Nacional colegas e equipe técnica, o meu muito obrigado! Não há gente com a gente!”

Rampa do Monte conta com 39 equipas

Diário de Notícias - Desporto - Seg, 20/05/2019 - 20:00

A Rampa do Monte - Município do Funchal conta com um total de 39 equipas que irão para a estrada já este sábado na luta pelos vários troféus. É a terceira prova pontuável para do Troféu Regional de Rampas - AMAK.

Organizada pelo Clube Desportivo Nacional, o percurso da prova será disputado entre a zona do Terreiro da Luta e do Montado do Pereiro, entre as 9 horas da manhã e o final da tarde de sábado. Depois das duas subidas de reconhecimentos, marcado para as 9h20 e 10h50, as subidas oficiais, quatro, estão agendadas para as 12h20, 13h50, 15h20 e 16h50.

Equipa do Madeira SAD já chegou à Região

Diário de Notícias - Desporto - Seg, 20/05/2019 - 19:52

O vice-presidente do Governo Regional recebeu, esta tarde, o Madeira SAD no Aeroporto Cristiano Ronaldo. Pedro Calado, que se fez acompanhar pelo presidente do CS Marítimo, Carlos Pereira, destacou o trabalho e o esforço da equipa madeirense, que se bateu na final da Taça Challenge em andebol masculino, frente ao CSM Bucareste.

O regresso dos clássicos ao Jamor

TSF - Desporto - Seg, 20/05/2019 - 16:21
Iniciamos esta segunda-feira uma semana de Números Redondos dedicados à final da Taça de Portugal do próximo sábado (como tem sido hábito na TSF a partir de 2016), destacando nesta primeira crónica o facto de terem passado 11 anos desde a última final entre dois grandes.

Quem (e quantos) são os portugueses campeões na Europa? pt.1

Fair Play - Seg, 20/05/2019 - 15:53

Já estão encontrados, praticamente, todos os campeões da Europa fora (e Israel também) e a Diáspora portuguesa esteve presente em 14 ligas diferentes, com alguns mais conhecidos como Cristiano Ronaldo a coroarem-se como os “reis” ou até a ligas mais periféricas como a israelita onde Jair Amador levantou o título de campeão! Contabilizámos nesta lista atletas que são internacionais por Cabo Verde ou Moçambique, mas que nasceram em Portugal.

Esta é a parte 1 de três artigos a destacar os vários campeões portugueses pela Europa fora, entre os principais e outros menos conhecidos campeonatos de futebol!

CRISTIANO RONALDO E JOÃO CANCELO (JUVENTUS FC)

Uma boa época de estreia para Cristiano Ronaldo na Serie A, com 21 golos marcados e 11 assistências que ajudaram a Juventus chegar ao oitavo título consecutivo. Para João Cancelo também foi uma 1ª época satisfatória, apesar de não ter sido um titular indiscutível do principio ao fim da temporada, caindo muito na lógica de rotatividade montada pelo agora ex-treinador Massimo Allegri.

Cristiano Ronaldo teve exibições de alta qualidade ao serviço da Vecchia Signora com golos de colocar os adeptos italianos de mãos na cabeça, como aconteceu no golo da reviravolta ante o Empoli à 10ª jornada. Foi preponderante a dar outra profundidade ao ataque dos campeões italianos, para além das características de liderança, “agressividade”, intensidade e ambição, que mesmo assim ainda não foram suficientes para Juve chegar ao título Europeu.

Veremos como Cancelo e CR7 vão-se dar em 2019/2020 com a chegada de um novo treinador para guiá-los no continuar da hegemonia em “casa” e no tentar de voltar aos títulos europeus!

SÉRGIO OLIVEIRA, FERNANDO VARELA E VIEIRINHA (PAOK)

Sérgio Oliveira chegou, viu e venceu ao serviço do PAOK, com uma série de exibições de elevado capricho que foram essenciais para o emblema de Salonica conquistar o seu primeiro título de campeão grego no século XXI (a última vez tinha sido em 1985). O médio-centro chegou só em Janeiro, emprestado via FC Porto, juntando-se a outro ex-portista, Vieirinha, e ao central Fernando Varela.

Vieirinha regressou ao emblema grego, depois de ter actuado durante 5 anos ao serviço do Wolfsburgo, sendo que entre os anos de 2008 e 2012 tinha alinhado pelo PAOK. Ao todo já soma 195 jogos ao serviço dos Asprόmavri, e nesta temporada envergou a braçadeira de capitão com uma raça e paixão sem igual, jogando até lesionado mas sem virar a cara ao desafio. O lateral-esquerdo foi autor de 5 golos e 4 assistências e está incluído no melhor onze da época!

Varela foi o segundo a viajar para o PAOK, isto em 2016 e desde então assumiu-se como um dos pêndulos máximos do PAOK, com uma série de prestações preponderantes para oferecer o título de campeão com a melhor defesa do campeonato (14 golos sofridos) e sem qualquer derrota no registo final da Super League grega!

Esta lusofonia foi fulcral para o 3º título de campeão do PAOK da sua história e que ficará para a história como um dos maiores feitos por uma equipa fora do triângulo dos “reis” AEK, Panathinaikos e Olympiakos.

LUIS NETO (ZENIT)

Foi uma época agridoce para Luís Neto, que conseguiu somar o seu 2º título de campeão russo mas em que passou a maior parte do tempo sentado no banco de suplentes do Zenit de São Petersburgo.

Chegou a estar no onze titular durante 10 jogos consecutivos, mas a derrota frente ao CSKA em Novembro foi fatal nas pretensões do internacional português em manter o lugar no eixo-defensivo.

As notícias da saída para o Sporting Clube de Portugal não terão ajudado (ao qual já se vinculou definitivamente) e o facto do seu contrato findar no final da época podem ter “forçado” a direcção do emblema russo a encostar um central com o talento de Neto. Sai da Rússia com o seu 2º título de campeão e vai ser uma “carta” importante no esquema de Marcel Keizer.

RUI PEDRO (FERENCVÁROS)

É uma entrada muito curta, uma vez que Rui Pedro é oficialmente campeão húngaro apesar de só ter jogado 5 minutos pelo Ferencváros e de ter saído para o Haladas, que infelizmente desceu de divisão no final da temporada que findou agora.

O ponta-de-lança formado no FC Porto, que conseguiu jogar na Liga dos Campeões pelo Cluj (iremos falar do emblema romeno na parte 2), conquista o seu 2º título de campeão na carreira, depois de tê-lo feito ao serviço do Cluj e agora, de forma peculiar, pelo Ferencváros!

Fica para a memória um dos 5 golos que marcou pelo Haladás!

The post Quem (e quantos) são os portugueses campeões na Europa? pt.1 appeared first on Fair Play.

Conquista do 37.º campeonato nacional é "vitória da verdade desportiva"

TSF - Desporto - Seg, 20/05/2019 - 15:40
Luís Filipe Vieira deixou rasgados elogios a Bruno Lage, mas não esqueceu Rui Vitória, o treinador que deixou o clube sensivelmente a meio da temporada.

Benfica vai investir em jogadores de grande nível

TSF - Desporto - Seg, 20/05/2019 - 13:49
O Benfica não quer perder o comboio do futebol europeu e tem vários milhões para investir numa carruagem de luxo.

"Hip, hip, ganhámos!" A celebração especial do histórico do Benfica Shéu Han

TSF - Desporto - Seg, 20/05/2019 - 11:56
Anos depois de ter jogado ao lado de nomes como Eusébio, Tony ou Néne, Shéu Han continua a viver a vitória do Benfica com emoção. Em entrevista à TSF como festejou o 37º. título de campeão nacional.

Nélson Semedo recebe alta hospital após passar a noite em observação

Diário de Notícias - Desporto - Seg, 20/05/2019 - 10:49

O futebolista português Nélson Semedo, defesa do FC Barcelona, recebeu hoje alta hospitalar, depois de ter passado a noite em observação devido a uma contusão craniana sofrida no jogo com o Eibar, anunciou hoje o bicampeão espanhol.

“Semedo superou satisfatoriamente os exames realizados em consequência de uma contusão craniana e já recebeu alta hospitalar”, indica o Barcelona, em comunicado, adiantando que Nélson Semedo será avaliado durante esta semana, com vista à possível utilização na final da Taça do Rei de Espanha, que vai disputar no próximo sábado, em Sevilha, frente ao Valência.

O internacional português sofreu uma contusão craniana na sequência de um choque com Sergi Enrich, no jogo entre o Barcelona e o Eibar (2-2), da última jornada do campeonato espanhol, tendo sido substituído ao intervalo pelo senegalês Moussa Wagué e permanecido durante a noite num hospital de Bilbau, em observação.

Nélson Semedo juntou-se à longa lista de lesionados do clube catalão, que já integra o guarda-redes Marc-André ter Stegen e os avançados Luis Suárez, Philippe Coutinho, Ousmane Dembelé e Kevin-Prince Boateng, todos em dúvida para o encontro com o Valência, o último da época.

Ronaldo “muito feliz” com título pela Juventus

Diário de Notícias - Desporto - Seg, 20/05/2019 - 09:36

Cristiano Ronaldo manifestou a sua satisfação nas redes sociais pela conquista do campeonato pela ‘Juve’.

“Muito feliz por ganhar o segundo troféu para a Juventus e o meu primeiro campeonato na série A”, escreveu o craque na legenda da foto em que segura a taça de campeão.

Pelo segundo jogo consecutivo Cristiano Ronaldo não marcou e a Juventus (mesmo sem vencer quatro jornadas na Serie A), sagrou-se campeã com um empate por 1-1 em casa frente ao Atalanta. Foi o oitavo título consecutivo da ‘Vecchia Signora’, que garante também um lugar na Champions, caso vença na última partida o aflito Empoli.

No intervalo o internacional português recebeu ainda o prémio de melhor jogador da Serie A de 2018/19.

Ronaldo aproveitou para celebrar feito rodeado da família, nomeadamente da namorada (Georgina) e da mãe (Dolores Aveiro).

Marco Ferreira defende mudanças no VAR mas afirma que campeão é justo

Diário de Notícias - Desporto - Seg, 20/05/2019 - 08:20

O antigo árbitro Marco Ferreira faz um balanço positivo da arbitragem no final da época 2018/19 da I Liga de futebol, mas admite que há situações a melhorar, nomeadamente no que diz respeito ao protocolo do videoárbitro (VAR).

“Feitas as contas julgo que o balanço deste ano de arbitragem é positivo, embora saiba que se valorizam sempre demasiado os erros e se esquece que em muitos jogos as equipas de arbitragem tiveram actuações positivas”, disse o ex-internacional de arbitragem, em entrevista à agência Lusa.

Ainda assim, Marco Ferreira admite que, apesar de estar no seu segundo ano de implementação, o VAR está ainda longe de ser uma ferramenta perfeita.

“Existem afinações a fazer, mas também sabemos que não dependem só da nossa vontade. Há passos que estão a ser dados no sentido de melhorar, mas não podemos esquecer que fomos pioneiros e isso tem um preço. Tem de haver alterações, mas o balanço tem de ser sempre positivo. Para mim, a partir do momento em que o VAR tenha permitido alterar uma decisão completamente errada, já é importante”, realça Marco Ferreira, que considera que as federações nacionais deviam ter mais autonomia para rever o protocolo do VAR e assim evitar alguns embaraços.

Com 81 jogos arbitrados na I Liga, Marco Ferreira aposentou-se no final da época de 2014/2015, mas tem bem presente os critérios que presidem à análise na arbitragem, acentuando que é aí que reside grande parte do problema.

“Todos gostamos de futebol, mas ninguém gosta dos erros, embora se diga que são normais. Infelizmente, o que se valoriza são os erros que acontecem. É verdade que há erros inadmissíveis, mas não podemos esquecer que o factor humano está sempre presente”, lembra o antigo internacional, avançando também que é pouco sério avançar com conclusões sem olhar aos jogos das equipas ditas mais pequenas.

Com o aproximar do final do campeonato cresceu o número de críticas e a polémica em torno da arbitragem, algo que Marco Ferreira viu com tristeza, mas que considera “normal” e que justifica com a actual política de comunicação dos clubes.

“O erro só acontece quando é contra a nossa equipa. Quando é contra os outros já é algo normal. Isso é cultural e está também muito ligado à actual comunicação dos clubes, que passam a mensagem de que perderam porque foram prejudicados. É uma mudança que tem de ser feita por vários sectores, incluindo a justiça, porque esta forma de pressionar e de coagir tem de acabar. Põe-se em causa a seriedade e a idoneidade das pessoas e não há consequências, e isso é que tem de acabar no futebol português”, pede Marco Ferreira.

Quanto à influência dos “homens do apito” no desfecho da prova e atribuição do título de campeão nacional, o ex-árbitro lembra que “o campeonato é uma maratona e não uma prova de 100 metros”.

“Sou defensor de que quem acaba na frente é sempre um justo vencedor, porque isto é uma maratona e não um sprint de 100 metros. Claro que os erros que acontecem perto do final da prova são aproveitados pelas equipas que não atingem os seus objectivos, mas o campeonato é composto de muitas jornadas e a arbitragem não pode ser responsabilizada pela decisão do campeão. Todos têm queixas, mas no final de contas julgo que o balanço é quase sempre nulo e não se pode atribuir o título de campeão à arbitragem, mas sim ao mérito, trabalho e dedicação da equipa que venceu”, termina o antigo árbitro da AF Madeira.

Nacional defraudou expectativas e caiu um ano após subir

Diário de Notícias - Desporto - Seg, 20/05/2019 - 08:16

O Nacional defraudou as expectativas e regressa à II Liga de futebol, um ano depois de subir, numa temporada marcada por oscilações nas suas prestações, fruto de alguma inexperiência por parte do plantel.

Depois de uma primeira volta positiva, que fechou no 12.º lugar, com 19 pontos, seis acima da ‘linha de água’, nada fazia antever uma segunda com muitos percalços e poucos pontos (nove), que culminou num 17.º lugar, com 28 e consequente adeus à I Liga.

Apesar da contestação dos adeptos, numa manifestação de confiança da direcção, Costinha liderou a equipa da primeira à última jornada, depois do título da II Liga na época passada, sendo que também teve o plantel do seu lado.

A empatia com o técnico foi bem patente, quando na antevisão à recepção ao Sporting, os capitães Diego Barcelos, Felipe Lopes e Diogo Coelho surpreenderam todos, ao interromper a conferência de imprensa e manifestar o total apoio ao treinador.

A equipa viveu o seu melhor período entre as nona e 12.ª jornadas, com duas vitórias, na receção ao Marítimo e na Vila das Aves, e dois empates, mas a pior série foi bem mais longa, com 10 jogos sem ganhar, incluindo oito desaires, da 25.ª à 34.ª.

O médio Vítor Gonçalves (dois golos em 33 jogos) foi dos jogadores mais influentes, o internacional moçambicano Witi (dois golos em 32 jogos) também se destacou, enquanto o hondurenho Brian Rochez foi o melhor marcador, com 10 tentos.

O guarda-redes Daniel Guimarães, pese os 58 golos sofridos, foi um dos elementos mais regulares, tendo em muitos jogos mantido o sonho de pontuar até aos limites.

Um dos factores negativos mais evidentes, centrou-se no processo defensivo, que consentiu 73 golos. Foi a defesa mais batida, sendo que essa debilidade atingiu o apogeu na derrota por 10-0 no Estádio da Luz, frente ao Benfica, à 21.ª jornada.

Uma das maiores decepções da equipa, foi o avançado uzbeque Sardor Rashidov, que ainda prometeu, quando no seu segundo jogo fez um ‘hat-trick’ na vitória por 4-0 frente ao Feirense.

Depois, passou por um momento delicado, quando se recusou a viajar para os Açores, para defrontar o Santa Clara, alegadamente por ter tido medo de viajar, face às previsões de mau tempo para o arquipélago açoriano e não mais atingiu qualquer relevância.

A época ficou também marcada por inúmeras lesões no grupo de trabalho, que limitou em muito as opções de Costinha para cada partida, não conseguindo nunca solidificar um ‘onze’, sobretudo na segunda volta.

Marítimo, longe da Europa, encontrou salvação nos Barreiros

Diário de Notícias - Desporto - Seg, 20/05/2019 - 08:12

O Marítimo aspirava a lugares europeus na I Liga portuguesa de futebol, mas uma terrível série de resultados levou a que os madeirenses tivessem de lutar pela manutenção, conseguida graças às vitórias no Funchal.

Petit chegou no final de novembro de 2018 e acabou por cumprir a meta necessária, mas não desejada, da permanência no principal escalão, após um período inicial mal sucedido com Cláudio Braga.

Os trabalhos arrancaram com mexida no comando técnico, pois Daniel Ramos deixou a Madeira, o que levou o presidente Carlos Pereira a escolher Cláudio Braga, um nome bastante desconhecido em Portugal, mas que tinha acabado de promover o Fortuna Sittard ao primeiro escalão na Holanda.

O arranque até foi positivo, com três vitórias nas quatro primeiras jornadas, o que deixava os insulares no quinto lugar, com os mesmos nove pontos do o campeão nacional FC Porto, mas tudo iria mudar para pior.

Nas seis rondas seguintes, a equipa somou apenas um ponto e Cláudio Braga acabou por ser demitido, na ‘ressaca’ da eliminação da Taça de Portugal (derrota caseira com o Feirense, por 3-0), levando à entrada de Petit.

A mudança não trouxe resultados imediatos - quatro derrotas e um empate -, elevando para 11 os jogos sem vencer e 16 em todas as competições, o ciclo mais longo de sempre do Marítimo desde que os ‘verde rubros’ chegaram à I Liga.

A ‘seca’ acabou em 5 de Janeiro, diante do Portimonense, no Funchal, por 2-1, o primeiro de três triunfos consecutivos, a melhor série da época.

No entanto, a recuperação foi anulada, já que o Marítimo perdeu os três encontros subsequentes, momento delicado que fez com que o clube tomasse a política do silêncio, deixando de haver conferências de imprensa de antevisão de Petit.

Os resultados viriam a melhorar e a estabilidade foi conseguida, sobretudo no ‘Caldeirão’ dos Barreiros, graças a cinco vitórias caseiras, que asseguraram a manutenção, deixando a equipa com 39 pontos, a um da meta traçada pela equipa (40).

No sector mais recuado do plantel, destacaram-se Zainadine, o ‘patrão’ da defesa, e o guarda-redes Charles, que assumiu a titularidade à 14.ª jornada e foi coroado com o prémio de guarda-redes do mês em Março e Abril.

Mais à frente no campo, o nome de Joel foi o que mais brilhou, com oito golos apontados, sete dos quais na segunda volta, apoiado pelo capitão Edgar Costa, uma peça fundamental na retoma maritimista.

Por outro lado, figuras importantes na era de Daniel Ramos como Jean Cléber, Gamboa e Ricardo Valente perderam fulgor este ano.

Finalmente, Nadal

Fair Play - Seg, 20/05/2019 - 01:28

Rafael Nadal conquistou, este domingo, em Roma, o seu primeiro título do ano na terra batida. A hegemonia do espanhol tem vindo a ser interrogada nas últimas semanas. Djokovic, venceu em Madrid, Thiem em Barcelona e Fognini em Monte Carlo. Torneios esses habitualmente que o maiorquino tem vindo a vencer. De resto, foi a primeira vez na carreira que Nadal chegou a Maio sem títulos. As limitações físicas de El Toro Miura também têm condicionado as suas exibições e gerado interrogações sobre se pode estar a perder o domínio na terra batida.

Só que, este domingo, Nadal deu uma resposta cabal. Contra, nada menos, que Novak Djokovic, o número dois do mundo ganhou por 6-4, 4-6, 6-1. Em 54 jogos entre os dois tenistas, pela primeira vez houve lugar a um ‘pneu’. Nadal precisou de 2h25 para vencer pela nona vez o torneio da cidade eterna. Uma espécie de vingança pelo que aconteceu no Autralian Open, quando o sérvio atropelou o espanhol na final (6-3, 6-2 e 6-3).

“Ganhar um título é importante, mas o mais importante para mim é sentir-me saudável e que estou a melhorar. Estou muito feliz pela vitória e por ter jogado bem”, reconheceu Nadal.

A vitória de Nadal volta a adiantar o espanhol no número de vitórias em Masters 1000. Antes desta final, os dois somavam o mesmo número de triunfos (33). Este é, aliás, o 81º título da carreira de Nadal.

A confirmação de Tsitsipas e o retorno de Del Potro

O torneio de Roma representa um grande balão de oxigénio na confiança de Rafa Nadal para atacar Roland Garros. E se este torneio foi um teste, o espanhol passou com distinção. Em quatro dos cinco jogos disputados, aplicou um ‘pneu’ (Jeremy Chardy, Nikoloz Basilahvili, Verdasco e Djokovic). O único que não levou o ‘0’ foi Tsitsipas, nas meias finais (6-3, 6-4). O grego volta a fazer um bom torneio e mostrar a sua boa fase, depois de vencer o Estoril Open. É certo que beneficiou da desistência de Roger Federer nos quartos de final, mas a sua consistência ao longo da época mostra que é preciso contar mesmo com ele.

Destaque também para Diego Schwartzman. O argentino atingiu as meias-finais, deixando para trás Kei Nishikori, Matteo Berrettini, Albert Ramos Vinolas e Yoshihito Nishioka.

Outro nome que não pode ser ignorado, sobretudo na terra batida, é Juan Martin del Potro. O argentino parece estar mesmo de volta, após (mais uma) longa paragem por lesão. Foi afastado nos quartos de final, por Djokovic, mas vendeu cara a derrota: 4-6, 7-6, 6-4. Casper Ruud e David Goffin foram as vítimas do argentino neste torneio.

The post Finalmente, Nadal appeared first on Fair Play.

Sporting160: Antevisão do Clássico na Taça com a Culpa é do Cavani

Fair Play - Seg, 20/05/2019 - 01:07
MATRAQUILHOS, A CULPA É DO CAVANI E CLÁSSICO: MISTURA EXPLOSIVA?

Depois de um clássico bem quente entre leões dragões para a Liga NOS, que acabou com uma vitória dos 2º classificados da Liga NOS 2018/2019, passamos à antevisão da Taça de Portugal que vai opôr os mesmos adversários e nada melhor que ter um debate com portistas da Culpa é do Cavani com moderação dos Matraquilhos!

Uma sessão completamente especial e histórica, que vai meter boa conversa, discussão, debate e ideias, entre as várias interrogações que surgem antes da final da 2ª maior competição em Portugal!

Estás pronto para ouvir o Sporting160? A partir das 21h30

Sporting160 is on Mixlr

The post Sporting160: Antevisão do Clássico na Taça com a Culpa é do Cavani appeared first on Fair Play.

Vitória SC vence Moreirense por 3-1 e termina no quinto lugar. Acabou a Liga 18/19

TSF - Desporto - Dom, 19/05/2019 - 23:41
Texeira deu vantagem ao Moreirense, mas Davidson (por duas vezes) e Osorio garantiram a vitória vimaranense.

Mbappé arrecada prémio de melhor jogador em França

Diário de Notícias - Desporto - Dom, 19/05/2019 - 23:28

O avançado Kylian Mbappé, do Paris Saint-Germain, foi hoje o grande vencedor da gala da União Nacional de Futebolistas Profissionais, tendo arrecadado o prémio de melhor jogador e melhor jogador jovem do campeonato francês.

Mbappé, que também integrou o melhor ‘onze’ da temporada, sucedeu ao brasileiro Neymar, seu colega de equipa, no galardão de jogador do ano e repetiu a vitória no prémio jovem.

Na corrida ao prémio de melhor guarda-redes da temporada, o português Anthony Lopes, que alinha no Lyon, foi superado por Mike Maignan, do Lille, clube que foi outro dos grandes vencedores da gala e em que alinham José Fonte, Xeka, Rui Fonte e Rafael Leão.

Christophe Galtier, que levou o Lille ao segundo lugar, foi eleito melhor treinador do ano e o melhor golo da competição foi de Loic Remy, que também atua no emblema do norte de França.

Karim Benzema, do Real Madrid, foi considerado o melhor jogador francês a atuar no estrangeiro.

Páginas