Agregador de notícias

Marco Ferreira defende mudanças no VAR mas afirma que campeão é justo

Diário de Notícias - Desporto - Seg, 20/05/2019 - 08:20

O antigo árbitro Marco Ferreira faz um balanço positivo da arbitragem no final da época 2018/19 da I Liga de futebol, mas admite que há situações a melhorar, nomeadamente no que diz respeito ao protocolo do videoárbitro (VAR).

“Feitas as contas julgo que o balanço deste ano de arbitragem é positivo, embora saiba que se valorizam sempre demasiado os erros e se esquece que em muitos jogos as equipas de arbitragem tiveram actuações positivas”, disse o ex-internacional de arbitragem, em entrevista à agência Lusa.

Ainda assim, Marco Ferreira admite que, apesar de estar no seu segundo ano de implementação, o VAR está ainda longe de ser uma ferramenta perfeita.

“Existem afinações a fazer, mas também sabemos que não dependem só da nossa vontade. Há passos que estão a ser dados no sentido de melhorar, mas não podemos esquecer que fomos pioneiros e isso tem um preço. Tem de haver alterações, mas o balanço tem de ser sempre positivo. Para mim, a partir do momento em que o VAR tenha permitido alterar uma decisão completamente errada, já é importante”, realça Marco Ferreira, que considera que as federações nacionais deviam ter mais autonomia para rever o protocolo do VAR e assim evitar alguns embaraços.

Com 81 jogos arbitrados na I Liga, Marco Ferreira aposentou-se no final da época de 2014/2015, mas tem bem presente os critérios que presidem à análise na arbitragem, acentuando que é aí que reside grande parte do problema.

“Todos gostamos de futebol, mas ninguém gosta dos erros, embora se diga que são normais. Infelizmente, o que se valoriza são os erros que acontecem. É verdade que há erros inadmissíveis, mas não podemos esquecer que o factor humano está sempre presente”, lembra o antigo internacional, avançando também que é pouco sério avançar com conclusões sem olhar aos jogos das equipas ditas mais pequenas.

Com o aproximar do final do campeonato cresceu o número de críticas e a polémica em torno da arbitragem, algo que Marco Ferreira viu com tristeza, mas que considera “normal” e que justifica com a actual política de comunicação dos clubes.

“O erro só acontece quando é contra a nossa equipa. Quando é contra os outros já é algo normal. Isso é cultural e está também muito ligado à actual comunicação dos clubes, que passam a mensagem de que perderam porque foram prejudicados. É uma mudança que tem de ser feita por vários sectores, incluindo a justiça, porque esta forma de pressionar e de coagir tem de acabar. Põe-se em causa a seriedade e a idoneidade das pessoas e não há consequências, e isso é que tem de acabar no futebol português”, pede Marco Ferreira.

Quanto à influência dos “homens do apito” no desfecho da prova e atribuição do título de campeão nacional, o ex-árbitro lembra que “o campeonato é uma maratona e não uma prova de 100 metros”.

“Sou defensor de que quem acaba na frente é sempre um justo vencedor, porque isto é uma maratona e não um sprint de 100 metros. Claro que os erros que acontecem perto do final da prova são aproveitados pelas equipas que não atingem os seus objectivos, mas o campeonato é composto de muitas jornadas e a arbitragem não pode ser responsabilizada pela decisão do campeão. Todos têm queixas, mas no final de contas julgo que o balanço é quase sempre nulo e não se pode atribuir o título de campeão à arbitragem, mas sim ao mérito, trabalho e dedicação da equipa que venceu”, termina o antigo árbitro da AF Madeira.

Nacional defraudou expectativas e caiu um ano após subir

Diário de Notícias - Desporto - Seg, 20/05/2019 - 08:16

O Nacional defraudou as expectativas e regressa à II Liga de futebol, um ano depois de subir, numa temporada marcada por oscilações nas suas prestações, fruto de alguma inexperiência por parte do plantel.

Depois de uma primeira volta positiva, que fechou no 12.º lugar, com 19 pontos, seis acima da ‘linha de água’, nada fazia antever uma segunda com muitos percalços e poucos pontos (nove), que culminou num 17.º lugar, com 28 e consequente adeus à I Liga.

Apesar da contestação dos adeptos, numa manifestação de confiança da direcção, Costinha liderou a equipa da primeira à última jornada, depois do título da II Liga na época passada, sendo que também teve o plantel do seu lado.

A empatia com o técnico foi bem patente, quando na antevisão à recepção ao Sporting, os capitães Diego Barcelos, Felipe Lopes e Diogo Coelho surpreenderam todos, ao interromper a conferência de imprensa e manifestar o total apoio ao treinador.

A equipa viveu o seu melhor período entre as nona e 12.ª jornadas, com duas vitórias, na receção ao Marítimo e na Vila das Aves, e dois empates, mas a pior série foi bem mais longa, com 10 jogos sem ganhar, incluindo oito desaires, da 25.ª à 34.ª.

O médio Vítor Gonçalves (dois golos em 33 jogos) foi dos jogadores mais influentes, o internacional moçambicano Witi (dois golos em 32 jogos) também se destacou, enquanto o hondurenho Brian Rochez foi o melhor marcador, com 10 tentos.

O guarda-redes Daniel Guimarães, pese os 58 golos sofridos, foi um dos elementos mais regulares, tendo em muitos jogos mantido o sonho de pontuar até aos limites.

Um dos factores negativos mais evidentes, centrou-se no processo defensivo, que consentiu 73 golos. Foi a defesa mais batida, sendo que essa debilidade atingiu o apogeu na derrota por 10-0 no Estádio da Luz, frente ao Benfica, à 21.ª jornada.

Uma das maiores decepções da equipa, foi o avançado uzbeque Sardor Rashidov, que ainda prometeu, quando no seu segundo jogo fez um ‘hat-trick’ na vitória por 4-0 frente ao Feirense.

Depois, passou por um momento delicado, quando se recusou a viajar para os Açores, para defrontar o Santa Clara, alegadamente por ter tido medo de viajar, face às previsões de mau tempo para o arquipélago açoriano e não mais atingiu qualquer relevância.

A época ficou também marcada por inúmeras lesões no grupo de trabalho, que limitou em muito as opções de Costinha para cada partida, não conseguindo nunca solidificar um ‘onze’, sobretudo na segunda volta.

Marítimo, longe da Europa, encontrou salvação nos Barreiros

Diário de Notícias - Desporto - Seg, 20/05/2019 - 08:12

O Marítimo aspirava a lugares europeus na I Liga portuguesa de futebol, mas uma terrível série de resultados levou a que os madeirenses tivessem de lutar pela manutenção, conseguida graças às vitórias no Funchal.

Petit chegou no final de novembro de 2018 e acabou por cumprir a meta necessária, mas não desejada, da permanência no principal escalão, após um período inicial mal sucedido com Cláudio Braga.

Os trabalhos arrancaram com mexida no comando técnico, pois Daniel Ramos deixou a Madeira, o que levou o presidente Carlos Pereira a escolher Cláudio Braga, um nome bastante desconhecido em Portugal, mas que tinha acabado de promover o Fortuna Sittard ao primeiro escalão na Holanda.

O arranque até foi positivo, com três vitórias nas quatro primeiras jornadas, o que deixava os insulares no quinto lugar, com os mesmos nove pontos do o campeão nacional FC Porto, mas tudo iria mudar para pior.

Nas seis rondas seguintes, a equipa somou apenas um ponto e Cláudio Braga acabou por ser demitido, na ‘ressaca’ da eliminação da Taça de Portugal (derrota caseira com o Feirense, por 3-0), levando à entrada de Petit.

A mudança não trouxe resultados imediatos - quatro derrotas e um empate -, elevando para 11 os jogos sem vencer e 16 em todas as competições, o ciclo mais longo de sempre do Marítimo desde que os ‘verde rubros’ chegaram à I Liga.

A ‘seca’ acabou em 5 de Janeiro, diante do Portimonense, no Funchal, por 2-1, o primeiro de três triunfos consecutivos, a melhor série da época.

No entanto, a recuperação foi anulada, já que o Marítimo perdeu os três encontros subsequentes, momento delicado que fez com que o clube tomasse a política do silêncio, deixando de haver conferências de imprensa de antevisão de Petit.

Os resultados viriam a melhorar e a estabilidade foi conseguida, sobretudo no ‘Caldeirão’ dos Barreiros, graças a cinco vitórias caseiras, que asseguraram a manutenção, deixando a equipa com 39 pontos, a um da meta traçada pela equipa (40).

No sector mais recuado do plantel, destacaram-se Zainadine, o ‘patrão’ da defesa, e o guarda-redes Charles, que assumiu a titularidade à 14.ª jornada e foi coroado com o prémio de guarda-redes do mês em Março e Abril.

Mais à frente no campo, o nome de Joel foi o que mais brilhou, com oito golos apontados, sete dos quais na segunda volta, apoiado pelo capitão Edgar Costa, uma peça fundamental na retoma maritimista.

Por outro lado, figuras importantes na era de Daniel Ramos como Jean Cléber, Gamboa e Ricardo Valente perderam fulgor este ano.

Finalmente, Nadal

Fair Play - Seg, 20/05/2019 - 01:28

Rafael Nadal conquistou, este domingo, em Roma, o seu primeiro título do ano na terra batida. A hegemonia do espanhol tem vindo a ser interrogada nas últimas semanas. Djokovic, venceu em Madrid, Thiem em Barcelona e Fognini em Monte Carlo. Torneios esses habitualmente que o maiorquino tem vindo a vencer. De resto, foi a primeira vez na carreira que Nadal chegou a Maio sem títulos. As limitações físicas de El Toro Miura também têm condicionado as suas exibições e gerado interrogações sobre se pode estar a perder o domínio na terra batida.

Só que, este domingo, Nadal deu uma resposta cabal. Contra, nada menos, que Novak Djokovic, o número dois do mundo ganhou por 6-4, 4-6, 6-1. Em 54 jogos entre os dois tenistas, pela primeira vez houve lugar a um ‘pneu’. Nadal precisou de 2h25 para vencer pela nona vez o torneio da cidade eterna. Uma espécie de vingança pelo que aconteceu no Autralian Open, quando o sérvio atropelou o espanhol na final (6-3, 6-2 e 6-3).

“Ganhar um título é importante, mas o mais importante para mim é sentir-me saudável e que estou a melhorar. Estou muito feliz pela vitória e por ter jogado bem”, reconheceu Nadal.

A vitória de Nadal volta a adiantar o espanhol no número de vitórias em Masters 1000. Antes desta final, os dois somavam o mesmo número de triunfos (33). Este é, aliás, o 81º título da carreira de Nadal.

A confirmação de Tsitsipas e o retorno de Del Potro

O torneio de Roma representa um grande balão de oxigénio na confiança de Rafa Nadal para atacar Roland Garros. E se este torneio foi um teste, o espanhol passou com distinção. Em quatro dos cinco jogos disputados, aplicou um ‘pneu’ (Jeremy Chardy, Nikoloz Basilahvili, Verdasco e Djokovic). O único que não levou o ‘0’ foi Tsitsipas, nas meias finais (6-3, 6-4). O grego volta a fazer um bom torneio e mostrar a sua boa fase, depois de vencer o Estoril Open. É certo que beneficiou da desistência de Roger Federer nos quartos de final, mas a sua consistência ao longo da época mostra que é preciso contar mesmo com ele.

Destaque também para Diego Schwartzman. O argentino atingiu as meias-finais, deixando para trás Kei Nishikori, Matteo Berrettini, Albert Ramos Vinolas e Yoshihito Nishioka.

Outro nome que não pode ser ignorado, sobretudo na terra batida, é Juan Martin del Potro. O argentino parece estar mesmo de volta, após (mais uma) longa paragem por lesão. Foi afastado nos quartos de final, por Djokovic, mas vendeu cara a derrota: 4-6, 7-6, 6-4. Casper Ruud e David Goffin foram as vítimas do argentino neste torneio.

The post Finalmente, Nadal appeared first on Fair Play.

Sporting160: Antevisão do Clássico na Taça com a Culpa é do Cavani

Fair Play - Seg, 20/05/2019 - 01:07
MATRAQUILHOS, A CULPA É DO CAVANI E CLÁSSICO: MISTURA EXPLOSIVA?

Depois de um clássico bem quente entre leões dragões para a Liga NOS, que acabou com uma vitória dos 2º classificados da Liga NOS 2018/2019, passamos à antevisão da Taça de Portugal que vai opôr os mesmos adversários e nada melhor que ter um debate com portistas da Culpa é do Cavani com moderação dos Matraquilhos!

Uma sessão completamente especial e histórica, que vai meter boa conversa, discussão, debate e ideias, entre as várias interrogações que surgem antes da final da 2ª maior competição em Portugal!

Estás pronto para ouvir o Sporting160? A partir das 21h30

Sporting160 is on Mixlr

The post Sporting160: Antevisão do Clássico na Taça com a Culpa é do Cavani appeared first on Fair Play.

Vitória SC vence Moreirense por 3-1 e termina no quinto lugar. Acabou a Liga 18/19

TSF - Desporto - Dom, 19/05/2019 - 23:41
Texeira deu vantagem ao Moreirense, mas Davidson (por duas vezes) e Osorio garantiram a vitória vimaranense.

Mbappé arrecada prémio de melhor jogador em França

Diário de Notícias - Desporto - Dom, 19/05/2019 - 23:28

O avançado Kylian Mbappé, do Paris Saint-Germain, foi hoje o grande vencedor da gala da União Nacional de Futebolistas Profissionais, tendo arrecadado o prémio de melhor jogador e melhor jogador jovem do campeonato francês.

Mbappé, que também integrou o melhor ‘onze’ da temporada, sucedeu ao brasileiro Neymar, seu colega de equipa, no galardão de jogador do ano e repetiu a vitória no prémio jovem.

Na corrida ao prémio de melhor guarda-redes da temporada, o português Anthony Lopes, que alinha no Lyon, foi superado por Mike Maignan, do Lille, clube que foi outro dos grandes vencedores da gala e em que alinham José Fonte, Xeka, Rui Fonte e Rafael Leão.

Christophe Galtier, que levou o Lille ao segundo lugar, foi eleito melhor treinador do ano e o melhor golo da competição foi de Loic Remy, que também atua no emblema do norte de França.

Karim Benzema, do Real Madrid, foi considerado o melhor jogador francês a atuar no estrangeiro.

Juventus cede empate em casa mas faz festa do título

Diário de Notícias - Desporto - Dom, 19/05/2019 - 22:31

A Juventus consentiu hoje um empate por 1-1 em casa frente ao Atalanta, mas terminou o jogo com a grande festa da conquista do título da Série A de Itália.

A 37.ª e penúltima jornada deixou a luta pela ‘Champions’ ao rubro, com a Atalanta, agora terceira, e Inter Milão, quarto, em posição de acesso, com apenas mais um ponto do que o AC Milan, quinto, e mais três do que a Roma, sexta, que também ainda tem possibilidade.

Com João Mário e Cédric Soares como suplentes não utilizados, o Inter Milão até podia ter confirmado já um lugar na mais importante prova europeia de clubes, mas sofreu uma pesada derrota por 4-1 no terreno do Nápoles, que já tem o segundo posto definido.

No San Paolo, o espanhol Fabian Ruiz foi a grande figura da partida, tendo assinado dois golos para a formação da casa.

A Atalanta aproveitou e igualou a equipa de Milão no terceiro posto, com um empate em Turim com a Juventus, num jogo em João Cancelo e Cristiano Ronaldo foram titulares no emblema campeão.

O esloveno Ilicic deu vantagem à Atalanta aos 33 minutos, mas o croata Mandzukic manteve a Juventus imbatível em casa, aos 80. Um dos grandes vencedores da ronda foi o AC Milan, que bateu no San Siro o já despromovido Frosinone, por 2-0, com golos do polaco Piatek e do espanhol Suso.

O Torino também ainda podia estar na luta pela ‘Champions, mas foi goleado por 4-1 no campo do Empoli, que saiu da zona de despromoção, por troca com o Génova, e continua com hipóteses de ficar na Serie A.

Além de Empoli e Génova, Udinese e Fiorentina também vão para a última jornada ainda sem a manutenção garantida, grupo em que poderá ainda entrar o Bolonha, caso seja derrotado no terreno da Lazio, na segunda-feira.

Fora de perigo ficou o Parma, que recebeu e bateu precisamente a Fiorentina, por 1-0, num jogo em que Bruno Alves esteve ausente, devido a castigo.

Francisco Carvalho, Eugénia Azevedo e Margarida Romba vencem prova de tiro com arco

Diário de Notícias - Desporto - Dom, 19/05/2019 - 21:52

A terceira prova do calendário regional de tiro com arco em campo decorreu hoje no campo de futebol da Direcção Regional de Juventude e Desporto, na Camacha, com participação de 18 arqueiros do Clube Aventura da Madeira (organizador), Clube de Tiro Com Arco da Madeira e União Desportiva de Santana.

Nos resultados finais destaque para a vitória de Francisco Carvalho (Clube Aventura da Madeira) no escalão sénior, a atirar a 70 metros para alvos de 122 centímetros. Somou 462 pontos, superando Luís Ferreira (CTAM), que foi segundo classificado, com 442 pontos. Na terceira posição ficou Francisco Jesus (CAMadeira) com 374 pontos.

Nos femininos, na distância de 70 metros, Eugénia Azevedo validou a sua primeira posição, com 117 pontos. No escalão Robins, Margarida Romba foi primeira, a atirar a 20 metros e conseguindo 388 pontos.

Nas distâncias de promoção, destaque para Enrico Perna (CAMadeira), que venceu nos 30 metros masculinos, com 466 pontos, superando Jorge Reis (UDS), que fez 430 pontos, e Hugo Alves (CTAM), com 328 pontos. Nos femininos, Graça Nunes (CTAM) confirmou a primeira posição com 195 pontos. Na distância de 10 metros, com alvos de 40 centímetros, Susana Silva (CTAM) confirmou o primeiro lugar com 470 pontos.

Nélson Semedo sofre contusão na cabeça e pode falhar final da Taça do Rei

Diário de Notícias - Desporto - Dom, 19/05/2019 - 21:22

O internacional português Nélson Semedo lesionou-se hoje durante o encontro frente ao Eibar e corre o risco de falhar o jogo da final da Taça do Rei de futebol do próximo no sábado, revelou o FC Barcelona.

O defesa direito luso sofreu uma contusão na cabeça no empate 2-2 do campeão FC Barcelona no País Basco na última partida da liga espanhola, tendo sido substituído ao intervalo pelo senegalês Moussa Wagué.

Semedo juntou-se à já longa lista do boletim clínico dos catalães, que têm Luis Suárez, Marc-André ter Stegen, Philippe Coutinho, Ousmane Dembelé e Kevin-Prince Boateng em dúvida para o embate frente ao Valência na final da taça espanhola.

O FC Barcelona informou em comunicado que o jogador português vai passar a noite sob observação num hospital de Bilbao.

Internacional iraniano é o primeiro reforço do Desportivo das Aves para 2019/2020

TSF - Desporto - Dom, 19/05/2019 - 21:13
Mehrdad Mohammadi, de 25 anos, jogava no Sepahan.

Nadal bate Djokovic e vence pela nona vez Masters de Roma

Diário de Notícias - Desporto - Dom, 19/05/2019 - 19:39

O espanhol Rafael Nadal venceu hoje o sérvio Novak Djokovic na final do Masters 1.000 de Roma em ténis, por 6-0, 4-6 e 6-1, garantindo a sua nona vitória neste torneio disputado em terra batida.

Nadal, segundo do ‘ranking’ mundial, impôs-se a Djokovic, número um do mundo, em duas horas e 29 minutos, e assegurou o seu nono triunfo na capital italiana, naquele que foi o seu 81.º título, 34 dos quais em Masters 1.000, tornando-se o recordista na categoria, com mais um do que o adversário de hoje.

“Para mim, é sempre uma honra, e ainda me lembro da primeira vez que venci aqui, em 2005. E ganhar esta taça tantos anos depois dessa primeira vitória significa muito para mim”, destacou o espanhol.

Já o líder do ‘ranking’ mundial, Djokovic, negou que tivesse sido batido devido ao cansaço, realçando antes que “o Rafa esteve muito forte hoje”.

Chaves acompanha Nacional e Feirense na descida à II Liga

Diário de Notícias - Desporto - Dom, 19/05/2019 - 19:28

O Tondela assegurou hoje a manutenção na I Liga portuguesa de futebol, ao vencer por 5-2 na receção ao Desportivo de Chaves, que foi despromovido ao segundo escalão, após o jogo da 34.ª e última jornada.

Em desvantagem no confronto direto, o Tondela chegou a estar a vencer por 4-0, com golos do brasileiro Ícaro, aos quatro minutos, de João Pedro, aos nove, do venezuelano Jhon Murillo, aos 16, e Tomané, aos 28.

O brasileiro Platiny, aos 38, e o sérvio Maras, aos 45+2, ainda reduziram na primeira parte para os transmontanos, antes de Jhon Murillo ‘bisar’, aos 77, assegurando a permanência da formação tondelense, que terminou o campeonato no 15.º lugar, com 35 pontos, mais três do que o Desportivo de Chaves.

Com este desaire, o segundo consecutivo, o Desportivo de Chaves foi relegado para a II Liga, tal como Nacional e Feirense, enquanto Paços de Ferreira e Famalicão asseguraram o regresso ao principal escalão, juntamente com o reintegrado Gil Vicente.

Treinador Vítor Oliveira consegue pela 11.ª vez fazer subir a sua equipa à I Liga

Diário de Notícias - Desporto - Dom, 19/05/2019 - 19:18

Vítor Oliveira vai orientar o Gil Vicente, que vai disputar a I Liga de futebol em 2019/20, anunciou hoje o treinador, após a conquista do título de campeão da II Liga com o Paços de Ferreira.

“Tínhamos já garantido a subida, que foi o que nos tínhamos proposto, e agora vencer o campeonato acaba por ser um prémio para todos. Não vou ficar, vou ser treinador do Gil Vicente. Por todas as razões que podem imaginar, é o projeto mais difícil e aliciante que havia na I e II Ligas, mas resolvi aceitar esta aposta de bom grado”, disse Vítor Oliveira.

O técnico, que hoje garantiu a sua 11.ª subida de divisão, a segunda pelo Paços de Ferreira, não se deixou convencer pelos argumentos do presidente dos ‘castores’, Paulo Meneses, que, também na salda de imprensa do Estádio Capital do Móvel, revelou que “já foi encontrada solução para o cargo de treinador.

“Já encontrámos solução, só não sei qual delas. O técnico terá de ser alguém que tenha ambição, algum histórico em termos daquilo que são resultados e objetivos, conheça o futebol português, a casa, e caiba dentro da nossa perspetiva orçamental. Reuni com três treinadores e a decisão sairá por aí, sendo que um dos que falei, sem problema em o revelar, foi com o Filó [treinador do Sporting da Covilhã]”, revelou.

O Paços de Ferreira sagrou-se hoje pela quarta vez campeão nacional da II Liga de futebol, ao receber e vencer o Cova da Piedade por 2-0, em jogo da 34.ª e última jornada da prova.

O Gil Vicente, do Campeonato de Portugal, vai ser reintegrado na próxima época no principal escalão, em consequência do caso Mateus.

O clube de Barcelos foi despromovido à II Liga na época 2006/07, por alegada irregularidade na utilização de Mateus, avançado atualmente no Boavista, tendo a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) anunciado a reintegração na I Liga em 12 de dezembro de 2017, na sequência de uma decisão do Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa, em 2016.

Esta instância de recurso declarou nula a decisão de descida do Gil Vicente tomada pelo Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), em agosto de 2006.

Na presente temporada, o Gil Vicente disputou a Série A do Campeonato de Portugal -- terceiro escalão --, sem que os seus jogos contassem para a classificação, por determinação federativa.

Campeão Barcelona fecha liga espanhola com empate em casa do Eibar

Diário de Notícias - Desporto - Dom, 19/05/2019 - 18:20

O campeão Barcelona empatou hoje 2-2 em casa do Eibar, terminando a Liga espanhola com 87 pontos, mais 11 do que o Atlético de Madrid, e celebrando a conquista do campeonato de futebol pela 26.ª vez.

O defesa espanhol Marc Cucurella deu vantagem à formação da casa, aos 20 minutos, mas o inevitável Lionel Messi marcou dois golos em dois minutos (31 e 32) e deu a volta ao marcador. Porém, ainda antes do intervalo (45 minutos), os bascos empataram a partida com um grande golo de fora da área do argentino Pablo De Blasis e o resultado manteve-se até ao final do encontro.

No outro jogo do dia, o Real Madrid despediu-se da ‘La Liga’ da pior forma, perdendo em casa com o Betis de Sevilha (2-0), terminando uma época de pesadelo, em que ficou no terceiro posto a 19 pontos do ‘gigante’ da Catalunha.

O Barcelona vai ainda disputar a final da Taça do Rei no próximo sábado frente ao Valência, no Estádio Benito Villamarín, a casa do Betis de Sevilha.

Páginas